Assuma o Controle

Assuma o Controle

Quando você está sofrendo, muito frequentemente se pergunta: “Quem me fez isso? Quem é o responsável?” Quando você é vítima, a responsabilidade de mudar e tornar tudo melhor sempre parece estar na outra pessoa. Quando a outra pessoa é a responsável, você pode desviar sua atenção da dor que está sentindo, para concentrá-la nas “injustiças” de que está padecendo. Mas existe um problema no hábito de achar alguém para ser o responsável por seus sofrimentos: não é verdade. Sua qualidade de vida é de sua inteira e exclusiva responsabilidade. Se você está sofrendo ou não, se suas necessidades são atendidas ou não, se seus relacionamentos são bons ou não, tudo isso é inteiramente determinado pelas escolhas que você faz.

Obstáculo que se interpõem

Obstáculo que se interpõem

Faça uma lista entre os obstáculos que se interpõem entre você se suas metas. É muito provável que você se surpreenda ao ver que a maioria das coisas que o impedem estão sob seu controle. Em geral, não há nenhum exército, nenhum governo nem uma grande empresa bloqueando o caminho entre você e a sua realização, apenas suas próprias atitudes e crenças. Calcule quanto tempo você gasta todo mês fazendo coisas que preferiria não fazer. Seja dinheiro, tempo ou energia desperdiçados, recupere a liberdade que é sua e aplique esses recursos para a vida que deseja viver.

A força não vem da vitória

A força não vem da vitória

A capacidade de reinterpretar os reveses pelos quais passamos é fundamental. Mas, como fazer para reinterpretar o fracasso? Tomando consciência de que, às vezes, os resultados demoram mais tempo do que prevíamos ou do que gostaríamos e que nem tudo depende de nós. Para uma reinterpretação eficaz pergunte-se: foi um fracasso ou uma aprendizagem? E lembre-se: quando você cometer um erro, não trate a si mesmo como se você fosse o erro.